Assunto bem interessante: alergia a picada de inseto. Quando o inseto pica uma pessoa, ele injeta a sua saliva em sua pele.

Essas substâncias podem causar reação alérgica no local da picada, principalmente em crianças a partir de 1 ano de vida.

O local da picada, em geral, fica vermelho e inchado, podendo aparecer outras pápulas igualmente vermelhas que vão se espalhando.

Esse tipo de reação comum na criança pequena vai melhorando de frequência e intensidade durante a sua vida.

A tendência é de melhora espontânea na maioria dos casos até os 10 anos de idade, o que chamamos de dessensibilização natural. 

Como se manifesta a alergia a picada de inseto?

 Nas crianças alérgicas, geralmente aparecem bolinhas (pápulas) avermelhadas e bem inchadas, próximas umas das outras, e em áreas expostas como pernas e braços, quando a picada é por mosquito e em áreas cobertas do tronco quando o inseto é a pulga ou percevejo.

Essas bolinhas coçam muito, e ficam menos inchadas depois de algum tempo.

Em pacientes alérgicos, essas bolinhas podem ter água dentro (vesículas) permanecendo semanas e, ao sumirem, deixam uma mancha clara ou escura como sequela.

A coceira causa pequenas feridas e, em alguns casos, pode ocorrer infecção secundária por bactérias, deixando uma ferida amarelada e com conteúdo purulento.

Essas reações incomodam muito as crianças? 

 Dr Mauro Toporovski, pediatra e coordenador-geral da Clínica de Pediatria Toporovski, afirma que sim. “Elas incomodam muito, chegando às vezes até, a causar coceira, muito intensa, por sinal em alguns casos”, diz o médico.

“Essas crianças muitas vezes acordam incomodadas durante a noite. Ao longo do dia, elas não conseguem controlar a coceira e acabam arranhando e machucando várias áreas da pele”, afirma o Dr. Mauro, que também é o responsável pela disciplina de Gastroenterologia Pediátrica da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. 

Como tratar a alergia a picada de inseto?

O melhor tratamento é a prevenção.

Posso evitar de ser picado?

No Brasil, o grande vilão é o mosquito, que se prolifera no nosso clima tropical. Então recomenda-se o seguinte.

Usar roupas de manga longa e calça comprida, pois agem como barreira mecânica.

Janelas e portas devem ter telas para impedir a entrada de insetos.

Instalar um mosqueteiro de tecido fino sobre a cama das crianças.

Pode-se usar repelentes elétricos nas tomadas das casas.

É muito importante combater os criadouros de mosquitos, evitando água parada, acúmulo de lixo e entulhos nas proximidades.

Cuidado redobrado no início da manhã e final de tarde, pois é o horário que os mosquitos costumam se alimentar.

Bebês entre 0 a 6 meses de idade: use repelentes de barreira, protetores de tomadas, telas e roupas compridas. Pode-se aplicar, ainda, permetrina na roupa do bebê antes de vesti-lo.

Crianças entre 6 meses a 2 anos: Icaridina em concentração mais baixa, em geral na forma de gel e não spray, IR3535 ou DEET, com concentração máxima de 10% (praticamente todos os produtos brasileiros têm concentração menor que 10%).

Acima de 2 anos: qualquer uma das opções, sendo mais eficazes os que são à base de DEET ou Icaridina. É preciso respeitar os intervalos de aplicação.

Repelentes naturais como a citronela, tem a desvantagem de ação de período muito curto, necessitando reaplicação frequente.

É controverso o uso de vitamina B1 (tiamina) como efeito protetor a picada de mosquitos (faltam estudos).

Eliminar as pulgas dos cães e gatos, pois elas podem picar as crianças.

Cuidado com os percevejos, pois geralmente tem história de surto na vizinhança ou pessoas que voltaram de hotel recente. Nesses casos, é necessário examinar os colchões por manchas escuras que são as fezes dos percevejos.

Pomadas aliviam a coceira e o inchaço 

Mosquito em um braço: pomadas podem aliviar o inchaço e as constantes coceiras
Mosquito em cima de um braço: pomadas podem aliviar o inchaço e as constantes coceiras

Se a prevenção não funcionar, e a criança for picada por algum inseto, o tratamento das crianças alérgicas deve ser o uso de pomadas a base de corticóide, que ajudam a aliviar a coceira e o inchaço. Os antialérgicos orais também podem ser usados para aliviar a coceira.

Deixe as unhas das mãos curtas e limpas para evitar a infecção secundária e a necessidade de uso de antibióticos tópicos ou orais.

A Dra Sarah Shamay, pediatra e consultora, na área de alergia da Clínica de Pediatria Toporovski, ressalta que há casos de alergia a picada de insetos muito repetitivos e de forte intensidade, que exigem o uso de diversas medicações para o controle.

A Dra Sarah Shamay na Clinica de Pediatria Toporovski: recomenda-se a imunização para conter a alergia a picada de insetos
A Dra Sarah Shamay na Clinica de Pediatria Toporovski: recomenda-se a imunização para conter a alergia a picada de insetos

“Nessas situações indica-se a utilização de uma vacina dessensibilizante, o que chamamos de imunoterapia. A mesma deve ser feita individualmente e pelo período de cerca de 2 anos”, reitera a médica. 

“Estudos têm demonstrado alta eficácia. Esta tem por objetivo acelerar o processo de dessensibilização natural ao mosquito que, ao invés de durar anos, ocorre em alguns meses, trazendo benefícios pela redução da intensidade e frequência das reações”, finaliza a Dra Sarah.

Clinica de Pediatria Toporovski: (11) 3821-1655

Deixe um comentário

Avenida Pacaembu, 1083,
São Paulo, 01234-001

Avenida Pacaembu, 1083,
São Paulo, 01234-001

Tel: (11) 3821-1655
WhatsApp: (11) 97335-3589