Com a chegada das tão esperadas e desejadas férias escolares, a criançada fica eufórica e com disposição e energia em dobro para as brincadeiras e atividades em casa ou ao ar livre. Tudo o que os pais desejam para os filhos, porém, são férias escolares com alegria e segurança.

Além do que, nessa época nossas crianças têm mais tempo livre para brincar e a exposição aos acidentes infantis aumentam muito.

Com isso, diversos cuidados e redobrar a atenção são extremamente necessários para minimizar os riscos de acidentes e machucados mais graves.

Não existe como deixar o ambiente 100% seguro, mas devemos implantar ações para que esses riscos sejam minimizados, deixando as crianças e adolescentes mais seguros para explorar, criar, e se aventurar nessa época tão gostosa.

Durante as férias, essa galerinha passa a maior parte do tempo em casa, e os pais e cuidadores devem supervisionar e monitorá-los diretamente.

Deve-se adaptar toda a rotina familiar para que eles não sejam expostos a riscos previsíveis como janelas sem proteção, piscinas descobertas, fogão, produtos de limpeza e medicações expostas, vias públicas, entre outros.

É MUITO IMPORTANTE TER SEMPRE UM SUPERVISOR POR PERTO!!

Nos pronto-socorros, observa-se que a maioria das crianças estavam sozinhas na hora do acidente.

Dados do Ministério da Saúde mostram que acidentes superam todas as outras causas de morte em crianças de 1 a 14 anos.

As quedas estão em primeiro lugar no número de internações. E apesar da grande quantidade de casos, estudos apontam que 90% dos acidentes poderiam ser evitados.

Principais acidentes que ocorrem são: traumas, queimadura, choque, afogamento 

Criança perto do fogão: nos pronto-socorros, observa-se que a maioria das crianças estavam sozinhas na hora do acidente
Criança perto do fogão: nos pronto-socorros, observa-se que a maioria das crianças estavam sozinhas na hora do acidente.

Os maiores acidentes que acontecem neste período são: traumas, queimadura, choque, afogamento, picada por animais peçonhentos (escorpião, cobra, aranha) ou intoxicação por produtos químicos, medicamentos, produtos de limpeza, entre outros.

“Em casa, no hotel, no parque, na praia ou em colônia de férias, os cuidados com a saúde das crianças não podem ser descartados”, afirma a Dra Sarah Shamay

Importante sempre fazer uma visita ao médico antes das viagens para uma avaliação de saúde e cuidados necessários para cada caso.

“Lembrar de manter as crianças sempre hidratadas, com uma alimentação saudável em lugares com boa higiene”, diz a pediatra

Fora isso, ter cuidado com exposições solares prolongadas e deixar a criança livre para brincar, pois o confinamento em locais fechados, sem atividades físicas, com uso prolongado de telas de celulares, computadores e televisão, expõem as crianças a maior ganho de peso, privação de socialização e interação com pessoas da mesma idade.

Então, o que fazer para tentar evitar os possíveis acidentes? Em primeiro lugar, nunca deixar as crianças sem supervisão de um cuidador (Este é o ponto principal!!!)

Dra Sarah Shamay examina paciente na Clínica de Pediatria Toporovski: nunca deixe as crianças sem supervisão de um cuidador
Dra Sarah Shamay examina paciente na Clínica de Pediatria Toporovski: nunca deixe as crianças sem supervisão de um cuidador

Férias escolares com segurança: orientações aos pais! 

Os pais devem seguir as seguintes orientações para que seus filhos tenham férias escolares com segurança:

Em casa

Pelo fato das crianças ficarem mais tempo em casa, este é o local que requer mais atenção. Muito cuidado com a cozinha e áreas de serviços.

Manter os objetos cortantes, produtos de limpeza e remédios em lugares fora do alcance das mesmas, deixando em lugares mais altos ou armários trancados.

Janelas e sacadas isoladas com rede proteção. Deve ser proibido o acesso das crianças para a cozinha, pelo risco de queimaduras e não cozinhar com crianças no colo, além de sempre que possível cozinhar nas bocas de traz do fogão.

Todas as tomadas elétricas da casa devem estar protegidas. Uso de telas de proteção em janelas, sacadas e vãos desprotegidos como laterais das escadas.

Cuidado com água em baldes, banheiras e privadas, pelo risco de afogamentos. E o principal: NUNCA deixe as crianças sob os cuidados de outras crianças.

PARQUINHOS OU PRAÇAS 

Nesses lugares, as quedas são os acidentes mais comuns, e sendo assim deve-se ter o cuidado de observar a altura e condições dos brinquedos e se o piso absorve impactos, evitar horários de sol intenso, entre 11h e 16h e manter as crianças hidratadas e com proteção solar.

Lembrando sempre de mantê-los em constante vigília.

CLUBE, PRAIA E PISCINAS

Nesses ambientes, o maior perigo são os afogamentos, e as crianças devem sempre ser supervisionadas durante as brincadeiras aquáticas.

Além disso, os pequenos que ainda não sabem nadar devem vestir coletes salva-vidas pois a “boia” causa uma falsa impressão de segurança.

As piscinas devem ter grade de proteção e estarem sempre cobertas nos momentos em que as crianças não estão brincando.

Além dos afogamentos, ter cuidado com insolação e queimadura por sol, usando roupas com proteção solar, utilizando protetores, bonés, hidratação oral intensa e evitar os horários de sol intenso, conforme mencionado anteriormente.

Pais com seu bebê em uma praia: em casa, no hotel, no parque, na praia ou em colônia de férias, os cuidados com a saúde das crianças não podem ser descartados
Pais com seu bebê em uma praia: em casa, no hotel, no parque, na praia ou em colônia de férias, os cuidados com a saúde das crianças não podem ser descartados.

NA RUA

A maior causa de acidentes nas ruas e vias públicas, são ocasionados por atropelamentos e por isso, além das crianças estarem na presença de um adulto, devemos ensiná-las como se protegerem, orientando a não brincar em portas de garagens ou vias de circulação de carros.

Ensinar a respeitar os semáforos e só atravessarem na faixa de pedestres. 

Crianças menores devem estar sempre no colo, no carrinho adequado para a idade com cinto de segurança ou, se for maior, bem seguras pelas mãos.

Usar equipamentos de proteção adequados quando andarem de bicicleta, patins ou skate e se quiserem soltar pipa, garantir que não tenham fios de alta tensão e nem risco de queda.

NO TRÂNSITO 

Em grandes viagens ou pequenos trajetos, é OBRIGATÓRIO de acordo com a idade da criança, o uso do bebê conforto, da cadeirinha e do booster, ou crianças maiores, no banco traseiro, presos por cinto de três pontos.

Além do que, as leis de trânsito devem ser respeitadas pelo adulto que dirige o veículo, pois é dele a responsabilidade da vida e bem estar dos outros ocupantes.

Da mesma forma, é sua responsabilidade o ensinamento à criança de seguir as normas de segurança, para proteção de todos.

Sendo assim, lembrar sempre que os acidentes são evitáveis na maioria dos casos, com medidas simples e quando acontecem na maioria das vezes, em razão do descuido ou falta de informações dos pais.

Na primeira infância, a proteção é passiva, isto é, o adulto cuidador precisa saber dos riscos que estão em volta da criança e do adolescente, bem como a capacidade física e mental de cada idade a vir, para que possa lhes oferecer um ambiente saudável e protegido, antes que algo de mal aconteça.

PROTEJAM SEUS BENS MAIS PRECIOSOS, QUE SÃO NOSSOS FILHOS, E BOAS FÉRIAS!!!

Clínica de Pediatria Toporovski: (11) 3821-165

Deixe um comentário

Avenida Pacaembu, 1083,
São Paulo, 01234-001

Avenida Pacaembu, 1083,
São Paulo, 01234-001

Tel: (11) 3821-1655
WhatsApp: (11) 97335-3589